Dicas úteis para você evitar transformar sua Black Friday em uma “Black Fraude”

A Black Friday é uma grande oportunidade para quem quer comprar produtos mais baratos. Há quem fica de olho em determinado produto, o ano todo, esperando o preço mais em conta. Mas também sabe-se que esta época está recheada de problemas, como campanhas que oferecem descontos falsos, até a prática de golpes.

Antes mesmo do início da campanha, que acontece hoje, um site de pesquisa, a Check Point Research, encontrou um aumento de 178% de sites fraudulentos.

Assim, confira dicas relevantes para que a sua Black Friday seja proveitosa, e não uma “Black Fraude”, como infelizmente tem acontecido com muitas pessoas, devido ao número de golpes e ofertas falsas que acontecem nesta data, sempre se aproveitando do impulso de compra das pessoas.

1. Cuidado com marcas desconhecidas e grandes descontos

A Black Friday pode dar palco para muitas marcas desconhecidas, que acabam oferecendo produtos por valores ainda mais baixos. No entanto, é preciso ter cautela ao escolher a marca do item desejado, principalmente em se tratando de eletrônicos e eletrodomésticos.

Não é porque uma televisão apresenta, em suas especificações, detalhes técnicos como 4K e HDR que o aparelho entregará uma imagem de qualidade e terá um bom tempo de vida útil. Nesses casos, a dica é pesquisar por modelos consolidados no mercado para não passar pela experiência “o barato sai caro”.

Muitos consumidores, ao comprarem produtos de fabricantes conhecidos, costumam compartilhar sua opinião nas redes. Vale aproveitar para dar uma olhada em textos e vídeos de review sobre o item que deseja comprar.

2. Ciclo de vida de eletrônicos também tem que ser considerado

Uma dica para comprar produtos mais em conta na Black Friday é pesquisar por eletrônicos da geração anterior. Isso porque fabricantes de smartphones, TVs e tablets costumam lançar novos produtos em um curto intervalo de um ano, e itens do ciclo anterior ainda podem apresentar uma boa relação custo-benefício.

O iPhone 13, por exemplo, foi lançado no Brasil há cerca de um mês, e hoje é possível encontrar o aparelho por cifras que partem de R$ 6.599. Já o iPhone 12, que completou um ano de lançamento mês passado, está disponível no varejo online a partir de R$ 4.828, o que equivale a uma diferença de quase R$ 2 mil reais.

A mesma lógica vale para outros produtos eletrônicos, como fones de ouvido e notebooks. Por isso, não esqueça de comparar os recursos dos dispositivos top de linha com as funcionalidades dos aparelhos do ciclo passado, além da diferença de preço entre os produtos. Assim, é possível identificar qual a melhor opção para você.

3. Olho no histórico de preços

A pratica de inflar os preços dos produtos dias antes para fazê-los parecer mais baratos na data da campanha se tornou tão comum que ganhou até nome — a conhecida “Black Fraude”. Para verificar se a oferta é real, os usuários podem pesquisar o histórico de preço dos itens desejados. Nesse caso, o consumidor tem ajuda da extensão Black Friday de Verdade.

Ao acessar páginas de produtos presentes em sites de varejo, a ferramenta exibe um ícone de gráfico no topo da tela. Toque nele para conferir a variação do valor do item em questão nos últimos 15 dias. Para ter acesso a essa função específica, o usuário precisa instalar a extensão no navegador e, depois, fazer login na plataforma.

4. Olho no preço, e não no desconto

Durante a Black Friday, as lojas intensificam a quantidade de anúncios e se esforçam para dizer ao consumidor que determinado produto está com desconto. Apesar da “tentação”, é importante não cair no impulso de comprar algo apenas porque um item parece estar com uma super oferta.

A chave para não tomar decisões erradas é olhar para o preço, e não só para a porcentagem da promoção. Afinal, um item pode está com 40% de desconto, mas ainda ser um produto caro.

5. Observe o endereço do site da loja

Uma prática comum entre os cibercriminosos durante essa época do ano é criar sites falsos usando nomes de varejistas confiáveis. Endereços como “amazoM.com.br”, trocando a letra “n” por “m”, ou “Ameriicanas.com”, acrescentando a letra “i”, se proliferam na Internet. Por isso, conferir a URL da página, verificando se o endereço não possui erros de ortografia ou domínios pouco comuns, como “.biz” e “.net”, é um cuidado fundamental na hora de fazer compras.

Vale lembrar também que esses endereços fraudulentos costumam ser divulgados pelo WhatsApp ou por e-mail junto a uma mensagem de promoção imperdível. Portanto, é recomendado evitar clicar em links divulgados em grupos do mensageiro e ter cuidado redobrado em relação às barras de endereços de sites de varejistas.

6. Confira o carrinho de compras

Conferir o carrinho de compras antes de ir realizar o pagamento é outra dica para evitar decepções na Black Friday. A prática é importante para confirmar se todos os itens que deseja comprar se mantiveram no carrinho enquanto você navegava pelo site. Assim, você não corre o risco de ter deixado algum produto com desconto para trás. Além disso, verifique o valor total da compra, para ter certeza de que o desconto anunciado na página do produto foi aplicado corretamente.

7. Conheça a política de troca e devolução da loja

Ninguém está a salvo de comprar produtos e se arrepender da escolha mais tarde, nem de receber uma mercadoria com defeito. Por isso, antes de comprar, é importante verificar a política de troca e devolução da loja, uma vez que cada empresa tem diretrizes próprias.

Questões como data limite para a realização do procedimento, informações sobre os custos de envio e como os reembolsos são realizados devem constar da página reservada para tirar dúvidas sobre o assunto. Os links para a página de política de troca e devolução dos e-commerces costumam ser encontrados no rodapé da página.

8. Registre tudo da sua compra, do início ao fim

Segundo o diretor de marketing da empresa Reclame Aqui, Felipe Paniago, os principais contratempos na Black Friday estão ligados à propaganda enganosa, divergência de valores e dificuldades para finalizar a compra. Por isso, é importante registrar todas as etapas do processo e compra, seja guardando e-mails enviados pelo site ou tirando prints de tela. Assim, o consumidor está mais seguro e tem mais respaldo para negociar com a loja — ou até mesmo para acionar os órgãos de defesa do consumidor, se necessário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: