Reino Unido quer discutir com Meta controles parentais para o metatarso

O órgão que regula a privacidade e uso de dados no Reino Unido, o ICO, quer discutir com a Meta, corporação que controla o Facebook e Instagram, entre outros, sobre mecanismos de segurança para o acesso de crianças no metaverso.

A entidade, de acordo com o The Guardian, está preocupada com falta de controle parental e moderação, já que crianças podem, assim como nas redes sociais atuais, usar contas próprias, ou dos pais, para interagir com estranhos.

A preocupação vem a partir de casos de abuso já registrados em outra plataforma do gênero, o VRChat, onde também são utilizados avatares para comunicação virtual. Além de que o ICO também espera que o metaverso siga as mesmas regras do Facebook, que tem como idade mínima os 13 anos.

“Estamos planejando discussões com a Meta sobre possibilidades de privacidade infantil e proteção de dados nos produtos Oculus e em serviços de Realidade Virtual. Pais e filhos que possuem preocupações sobre como suas informações são gerenciadas podem enviar suas reclamações a nós”, afirmou um porta-voz do ICO.

Em dezembro de 2021, durante o lançamento ainda em fases iniciais da plataforma Horizon Worlds, foi registrado o primeiro caso de assédio contra uma pessoa no ambiente virtual.

Como quebrar a lei local contra o uso de dados de crianças pode resultar em multas de até £ 17,5 milhões (cerca de R$ 135 milhões em conversão direta de moeda), é provável que a Meta colabore para evitar preocupações futuras. Em resposta, a empresa afirmou que está confiante que vai seguir as condições para garantir experiências apropriadas com a idade de cada usuário.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: