Reino Unido oferece 200 mil vagas para saúde à estrangeiros, incluindo brasileiros

Com carência de profissionais no campo da saúde, o Reino Unido está com quase 200 mil vagas no setor abertas para estrangeiros, o que incluem brasileiros. Os profissionais qualificados trabalharão no NHS, o serviço público de saúde da ilha.

Há vagas para médicos, enfermeiros e cuidadores.

A falta de profissionais ocorreu por dois fatores: a saída de trabalhadores europeus após questões de migração com o Brexit, além da pandemia de covid-19 que, além de manter profissionais isolados sem trabalhar, aumentou a demanda por serviços de saúde, atrasando mais de seis milhões de procedimentos médicos efetuados pelo NHS.

As vagas disponíveis são as seguintes:

  • 130.000 vagas para enfermagem (enfermeiros e técnicos de enfermagem); estima-se que o governo crie mais 50.000 vagas na área
  • 30.000 vagas para médicos
  • 105.000 vagas para cuidadores e enfermeiros em asilos.
  • Os salários partem de R$ 17.500 (2.333 libras) para enfermeiros e R$ 25.000 (3.333 libras) para médicos.

Brasileiros contam com vantagem competitiva na busca de vagas, devido ao SUS, sistema de saúde nacional que

O Reino Unido tem saúde pública e está em busca de profissionais brasileiros porque reconhece o trabalho feito por aqui no SUS. Apesar de diferenças de funcionamento e culturais, ambos compartilham da essência de oferecer atendimento de saúde gratuito a seus cidadãos.

Para se candidatar às vagas, os interessados precisam fazer cadastro no healthrecruitmentuk.com. Com o recrutamento levando até seis meses, o processo conta com entrevistas, aprovação, processo de visto e efetivação mediante contrato. A Health Recruitment UK é responsável por ajudar os candidatos, oferecendo, gratuitamente, custos de visto e prova de inglês, além de apoiar em custos e passagens.

Para as vagas, é preciso que os candidatos tenham nível de inglês C1 para médicos e enfermeiros, enquanto para outras vagas exigem o nível B1. Não há prazo para inscrições, ao menos enquanto a necessidade de profissionais de saúde continuar.

%d blogueiros gostam disto: