Seis lugares pelo mundo os quais você não pode tirar fotos para o Instagram

Em dias de câmeras em smartphones, todo mundo fotografa de tudo a toda hora. E isso inclui registros de pontos turísticos. Se há cerca de 100 anos atrás poucos podiam fotografar estes locais, hoje praticamente todos os turistas fotografam e compartilham instantaneamente imagens de locais variados por todo o mundo.

Mas existem alguns pontos turísticos, entre os maiores do mundo, que não podem aparecer no Instagram, de nenhuma maneira. Para que os locais sejam preservados dos cliques dos turistas, existem leis que proíbem fotografias no local.

Isso acontece por alguns fatores, que vão desde a preservação histórica do local, até questões envolvendo direitos autorais. Vamos, juntos, conhecer alguns destes locais:

O Taj Mahal, por exemplo, que é uma das sete maravilhas do mundo moderno e patrimônio cultural da Unesco, proíbe fotos internas do mausoléu. Os visitantes do palácio na Índia devem seguir várias regras, incluindo deixar os celulares desligados. Por lá, são permitidas apenas fotos externas.

Indo para os Estados Unidos, o Grand Canyon, no Arizona, é muito visitado, sendo um dos maiores desfiladeiros do mundo. Seus visitantes têm a possibilidade de acessar um deck, por meio de uma ponte de vidro, para observar a paisagem e as camadas de rocha vermelha. Nessa parte, os turistas são proibidos de levar e utilizar câmeras e precisam utilizar sapatos especiais para não arranhar e danificar o piso de vidro.

Por sua vez, na Capela Sistina, conhecida pelas obras de Michelangelo e o Renascimento, possui duas obras que são símbolo máximo deste período histórico: “O Juízo Final” e a “Criação de Adão”. A capela, que fica no Vaticano, atualmente é um museu, que proíbe tirar fotos ou gravar vídeos dentro de suas dependências, além de ser exigido silêncio de todos os visitantes.

Do Vaticano para a Rússia, chegamos ao Mausoléu de Lenin, que fica na Praça Vermelha de Moscou, e é um dos principais locais que conta a história da antiga União Soviética. Dentro do mausoléu, está o corpo de Vladimir Lenin, principal nome da fundação da URSS. A tumba, que recebe visitantes todos os anos, não pode ser fotografada. Como forma de demonstração de respeito ao corpo do líder, o ato de fotografá-lo é uma infração de lei.

Saindo do antigo comunismo e voltando ao capitalismo dos EUA, chegamos a Las Vegas, local conhecido por seus muitos cassinos e locais de entretenimento. Por lá, fotografias também são limitadas, mas o motivo envolve leis de proteção de identidade dos jogadores, que buscam, com um mínimo de imagens compartilhadas, expor pessoas que seriam potenciais alvo de bandidos, ou de exposição pessoal. Antigamente a medida era mais severa, mas ainda hoje há muitas restrições nos cassinos da cidade.

E por fim, a Cidade-Luz. Em Paris, a Torre Eiffel, um dos principais pontos turísticos do mundo, permite fotografias, como as que aparecem com frequência no Instagram. Entretanto, o monumento, que é um dos mais fotografados do mundo, não permite fotografias quando ele está iluminado, à noite. Isso acontece por um motivo simples: a iluminação é protegida por direitos autorais, sendo permitida a fotografia apenas por permissão escrita da administração. As fotos tiradas da Torre Eiffel à noite, apenas podem ser utilizadas para fins pessoais, sendo passíveis de exclusão na rede social por infração de direitos autorais.

%d blogueiros gostam disto: