Reino Unido anuncia sanções econômicas à Rússia, pela situação na Ucrânia

Nos últimos dias, as tensões entre Rússia e Ucrânia aumentaram, após o presidente russo Vladimir Putin decretar que seu Ministério da Defesa envie forças armadas do país para as regiões separatistas do leste da Ucrânia. O local é o centro das tensões, com a Rússia buscando influenciar separatistas da região.

O Reino Unido e outros países se movimentaram para demonstrar sua posição quanto à situação, através de sanções econômicas.Na manhã da terça-feira (22), o primeiro-ministro britânico Boris Johnson anunciou sanções contra cinco bancos russos e três executivos de alto escalão do país. O premiê pediu para que as demais nações ocidentais também impusessem bloqueios às instituições financeiras russas.

O “primeiro pacote” de restrições britânico atingem os bancos Rossiya, IS Bank, General Bank, Promsvyazbank e o Black Sea Bank, além de três executivos russos de alto escalão: Gennady Timchenko, Igor Rotenberg e Boris Rotenberg.

“Queremos impedir que as empresas russas consigam levantar fundos em libras esterlinas ou mesmo em dólares. Queremos que parem de levantar fundos nos mercados do Reino Unido e queremos tirar o véu que esconde a posse das propriedades deste país”, declarou o premiê.

Os EUA também anunciou novas sanções, na terça-feira (22), de acordo com informações de funcionários do governo americano. A embaixadora dos EUA na ONU, Linda Thomas-Greenfield, confirmou a informação.

“Amanhã, os Estados Unidos vão impor sanções contra a Rússia por essa clara violação da lei internacional e da soberania e integridade dos territórios da Ucrânia”, disse ela aos repórteres depois da reunião de emergência no Conselho de Segurança da ONU.

Enquanto o Japão também anunciou estar pronto para se juntar a outras nações para a implementação de sanções. Essa ação foi “inaceitável e uma violação da lei internacional”, disse a repórteres o primeiro-ministro Fumio Kishida, que ligou para Putin na quinta-feira para pedir moderação. O Japão estava pronto para uma resposta forte que poderia incluir sanções , acrescentou.

O Japão impôs sanções à Rússia ainda em 2014, após a ocupação russa da Crimeia, proibindo a exploração de chips semicondutores e outros elementos importantes para tecnologia, além de restrições a bancos russos.

Já a União Europeia decidirá também sobre quais sanções impor à Rússia, conforme disse o alto representante da UE, Joseph Borrell.

%d blogueiros gostam disto: