Finanças a dois: dicas para administrar contas conjuntas e projetos individuais

Em uma vida a dois, gastos e planejamentos são totalmente diferentes. Pessoas diferentes, com visão de mundo e dinheiro diferentes, podem trazer boas diferenças na administração conjunta do dinheiro.

Mas é possível sim, casais administrarem a vida a dois, enquanto podem também avançar em projetos individuais. Para isso, separamos alguns pontos relevantes, que podem ajudar casais nesta busca pela melhor administração de recursos possível.

Planejamento é fundamental

Seja para uma pessoa só ou para um casal, planejamento financeiro é essencial. Mas, para a vida a dois, é importante manter a conversa, desde o início e sempre. É preciso que o casal converse sobre renda, dívidas, compras e investimentos.

Se o casal planeja fazer algo juntos, ou se um dos dois pensa em um projeto individual, é importante conversar a respeito e, juntos, buscarem o melhor jeito para avançar neste processo.

Orçamento

O orçamento também é importante, já que o casal tem que ter plena consciência do que entra de dinheiro na casa, e o que está sendo gasto. Seja com planilhas, ou aplicativos, é importante manter o controle, até para que um melhor planejamento seja discutido.

Unir ou não unir

Existem três abordagens comuns quando se trata de orçamento em casal: mesclar tudo e compartilhar todas as receitas e despesas, criar uma conta conjunta para a qual ambas as pessoas contribuem para despesas compartilhadas e manter contas separadas ou manter tudo separado e dividir as contas.

Reyes e sua esposa têm uma conta conjunta onde pagam despesas combinadas, como hipoteca e alimentação, e também têm contas separadas.

“Gostamos de ter controle sobre nossas finanças individuais também”, disse ele. “Eu uso meus fundos pessoais para comprar coisas para o meu carro”, disse ele. “Temos contas pessoais para não nos sentirmos estranhos ou culpados usando nossa conta conjunta para nós mesmos.”

Definir metas

Não é preciso ter metas em casal sempre. Motivos compartilhados como a compra de uma casa, ou individual, como hobbies, podem ser tranquilamente discutidos, planejados e executados.

A questão aqui, é que o casal sempre converse sobre tais objetivos, compartilhados e individuais, para que o relacionamento flua, também nos aspectos financeiros. Com boa conversa, é quase certo que o cônjuge irá te apoiar em objetivos individuais, e o compartilhado será ainda mais intenso entre o casal.

%d blogueiros gostam disto: