Atingidos pelo desastre em Mariana em 2015 buscam justiça na Inglaterra

A Corte inglesa iniciou nesta segunda (4), o julgamento que decide se vai avaliar uma ação bilionária. A ação em questão é referente ao desastre ocorrido em Mariana, em 2015. A expectativa é que a audiência dure até amanhã (8).

Em novembro de 2015, a barragem da Samarco, que são de propriedade da Vale e da BHP, rompeu, causando a morte de dezenove pessoas. Além disso, comunidades foram devastadas, e a lama devastou o Rio Doce. Seis anos depois, os atingidos continuam à espera de reparação.

A ação foi levada para a Inglaterra por causa da BHP, que é uma mineradora que tem sede no país. A ação foi movida pelo valor de 5 bilhões de libras, aproximadamente 30 bilhões de reais. Os advogados afirmaram que a reparação no Brasil é inadequada.

Na ação, estão representados 200 mil pessoas, 25 prefeituras, seis autarquias, 531 empresas e 14 instituições religiosas.

A ação foi proposta no dia 5 de novembro de 2018, na Corte Superior de Liverpool, mas foi dada como negativa, em 2020. Mas uma nova sentença, de julho de 2021, reabriu o caso através de um painel de juízes e permitiu que um recurso fosse apresentado contra a decisão anterior.

Na audiência desta semana, os advogados vão apresentar dados atualizados sobre a tragédia, e seus argumentos sobre a razão de que o caso deve ser julgado na Inglaterra. Três juízes irão decidir se o processo será ou não tramitado.

%d blogueiros gostam disto: