Voo de Londres para Nova York precisou retornar para Heathrow por falta de treinamento do piloto

O voo VS3 da Virgin Atlantic decolou de Heathrow, Londres, com destino a Nova York na última segunda (2), mas foi obrigado a dar meia volta após 40 minutos de voo, e retornar para o aeroporto londrino. A aeronave já estava na Irlanda quando o comandate foi informado de que deveria retornar, pois seu copiloto não havia completado o treinamento necessário.

Para a CNN, a companhia afirmou que o copiloto deste voo é membro da equipe desde 2017, e conta com qualificações para voar, dentro das regulamentações britânicas. Entretanto, ele ainda precisava completar uma “avaliação final” da Virgin, para exercer a função.

O comandante, por sua vez, conta com 17 anos de empresa, e foi considerado pela Virgin “altamente experiente”, porém sem status de treinador de pilotos. Por causa deste detalhe, o copiloto deveria ser trocado.

Os passageiros, de volta a Londres, precisaram esperar na pista, dentro do avião, a localização de um substituto. Uma vez encontrado, o voo prosseguiu normalmente, chegando no Aeroporto John F. Kennedy três horas além do esperado

“Nós tínhamos acabado de chegar à costa oeste da Irlanda quando o capitão anunciou: ‘Vocês devem ter notado que conduzimos uma volta de 180º’. Em seguida, ele nos disse que estávamos voltando ao Heathrow devido a um erro administrativo e que eles precisavam assinar alguns papeis para podermos legalmente seguir viagem”, relatou a passageira Julie Vincent ao Mail.

A Virgin também garantiu aos seus passageiros que a segurança não foi comprometida, com o procedimento sendo executado apenas por questões de documentação e qualificação.

“Perguntamos diversas vezes o que estava acontecendo e tudo o que nos foi dito era que não era legal estarmos no ar e que precisávamos voltar para que um engenheiro pudesse avaliar que era seguro viajarmos”, relembrou ainda a passageira. Mesmo após o pouso em Heathrow, os viajantes foram mantidos dentro do avião e suas refeições de bordo começaram a ser servidas antes da nova decolagem.

“Ao menos três pessoas com coletes de segurança entraram no cockpit por um tempo antes que as cortinas fossem fechadas. Fomos mantidos no avião enquanto nos ofereciam água e esperávamos por uma atualização. Um dos tripulantes comunicou ao outro bem alto que os fornos não estavam funcionando”.

Segundo a passageira, diante do clima de incerteza e com apenas um carrinho, o serviço progrediu lentamente e o avião finalmente decolou com o novo copiloto.

A Autoridade de Aviação Civil do Reino Unido confirmou à CNN que “ambos os pilotos estavam adequadamente licenciados e qualificados para voar”.

A Virgin Atlantic, por meio de um porta-voz, lamentou o incidente. “Nós pedimos desculpas por qualquer inconveniente causado aos nossos clientes que chegaram duas horas e quarenta minutos depois do programado como resultado da mudança de tripulação”, disse um porta-voz ao Mail.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: