Pagamentos de resgate de dados chegam a US$ 2,2 milhões

Segundo pesquisa da Unit 42, lançada pela Palo Alto Networks, a partir do portal TI INSIDE Online, os pagamentos de ransomware alcançaram novos recordes no ano passado. A demanda média de resgate em situações trabalhadas pelos respondentes da Unit 42 aumentou de 144%, em 2021, para US$ 2,2 milhões. Já o pagamento médio avançou de 78% para US$ 541 mil, segundo o Relatório de Ameaças de Ransomware da Unit 42 deste ano. Os setores mais abalados são os de serviços profissionais e jurídicos, construção, atacado e varejo, saúde e manufatura.

A quantidade de vítimas com dados postados em redes de vazamento cresceu 85% no ano passado: 2.566 organizações, segundo o levantamento. Também foi apontado que 60% das vítimas de dados estavam nas Américas; 31% na Europa, no Oriente Médio e na África e 9% na Ásia-Pacífico.

Empresas da América Latina investem em estratégias de ESG

Ainda sobre a realidade de empresas, que já podem investir, por exemplo, em tecnologia e em uma consultoria de banco de dados, 69% de altos executivos do Brasil, Argentina, Colômbia e México apontam que têm uma estratégia de sustentabilidade em suas empresas, ante os 48% apresentados no ano passado. O número é resultado da segunda edição do estudo “Sustentabilidade na Agenda das Lideranças da América Latina” promovida pela SAP, reunindo entrevistas com 410 líderes regionais.

Segundo esse estudo, 30% afirmam terem inserido mais pilares ligados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU para o próximo ano; já 15% dizem ter colocado em prática iniciativas de sustentabilidade propostas no ano anterior; 40% aguardam crescer os investimentos em sustentabilidade neste ano ante ano passado e 51% vão continuar os esforços.

“Esse novo estudo também deixa muito claro que rentabilidade e sustentabilidade são uma combinação muito poderosa – ambas podem ser buscadas simultaneamente. Tanto consumidores quanto investidores estão inclinados a escolher empresas responsáveis em relação ao ambiente e às comunidades em que atuam”, salienta a presidente da SAP para América Latina e Caribe. “Hoje, mais do que nunca, as empresas que levam em conta o triple bottom line (pessoas, planeta e receita) terão mais vantagens e mais sucesso em uma economia cada vez mais competitiva e globalizada”, acrescenta.

Segundo estimativas do IDC, a adesão às soluções na nuvem pode evitar a emissão de mais de 12 milhões de toneladas de dióxido de carbono na região entre 2021 e 2024, o que confirma que a tecnologia é uma aliada na criação de impactos sustentáveis e ferramenta de apoio à gestão sustentável. O estudo mostra que 71% das empresas já usam algum tipo de tecnologia para realizar o gerenciamento e apresenta resultados associados às ações sustentáveis.

%d blogueiros gostam disto: