Alta de 36% nas transações com cartão no 1º trimestre de 22

Os cartões de crédito são o principal meio de pagamento nos negócios no Brasil. De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), no primeiro trimestre deste ano, o valor das transações com cartão de crédito atingiu 758,6 bilhões de reais, um aumento de 36% em relação ao ano anterior. foram utilizados reais para cartões de crédito (+42,4%), R$ 235,4 bilhões, R$ 44,6 bilhões para cartões de débito (+15,2%) e R$ 44,6 bilhões para cartões pré-pagos (+148,4%).

Pela primeira vez, o Brasil registrou 100 milhões de pagamentos com cartão por dia, também de acordo com a Abecs. O indicador de desempenho, ticket médio ficou em: cartão de crédito: R$ 112,1; cartão de débito R$ 64,8 reais e cartão pré-pago R$ 40,3 reais. Na comparação com o primeiro trimestre de 2021, as compras pela internet de janeiro a março aumentaram 35,2%, totalizando 162,4 bilhões de reais. Destes, 157,9 bilhões de reais foram processados ​​por meio de cartões de crédito, um aumento de 35,4%.

Ao longo de 2022, os pagamentos por aproximação devem ser mais proeminentes. Pela primeira vez, essa abordagem ultrapassa 30% do total de transações presenciais. Até 2022, espera-se que cerca de metade de todas as transações presenciais sejam por NFC. O total de pagamentos por aproximação no primeiro trimestre de 2022 supera R$ 100. Cartões de crédito: R$ 58,1 bilhões; Cartões de débito: R$ 28,4 bilhões e Cartões pré-pagos R$ 16,7 bilhões.

Na comparação com o primeiro trimestre de 2021, as compras pela internet aumentaram 35,2% de janeiro a março, totalizando 162,4 bilhões de reais. Destes, 157,9 bilhões de reais foram processados ​​por meio de cartões de crédito, um aumento de 35,4%. Mesmo com os dados positivos do primeiro trimestre 2022, o setor bancário está mais cauteloso na emissão de cartões diante de uma situação macroeconômica negativa caracterizada por desemprego, inflação e altas taxas de juros.

Aumento de dívidas e procura por crédito

A inadimplência, quando uma pessoa tem uma dívida e não pode pagá-la, também atingiu taxas de juros históricas. A proporção de famílias com contas vencidas é de 28,6% até abril de 2022. Conforme a CNC, a porcentagem de pessoas que declararam que continuariam inadimplentes atingiu 10,9%, o nível mais alto desde dezembro de 2020.

Entre as principais instituições financeiras, os recursos emergenciais foram emitidos à taxa mensal de 6,77% em abril, um aumento de 0,07 ponto percentual em relação à taxa média de março de 2022. No monitoramento realizado pela Associação Nacional dos Executivos Financeiros (Anefac), a taxa média de juros subiu para 114,59% ao ano em março de 2022. Em janeiro de 2021, a taxa era de 92,59%.

%d blogueiros gostam disto: