Azeite brasileiro é considerado o melhor do mundo na Itália

Um azeite brasileiro, produzido no Rio Grande do Sul, foi considerado como o melhor azeite do mundo no IOOC Italy 2022. De acordo com as regras do concurso, o Milonga, azeite gaúcho, foi escolhido como o melhor do Hemisfério Sul, uma vez que hemisférios norte e sul concorrem de forma separada.

O azeite, produzido na cidade de Triunfo, participou da competição pela primeira vez e foi consagrado. A marca é recente, criada em 2019, e participou pela primeira vez de um concurso, de acordo com Chris Vogt, sommelier e um dos proprietários da marca.

“Isso prova quanto nossos azeites são especiais”, complementou. Vale lembrar que azeite faz bem à saúde: reduz riscos de demência, derrame e câncer.

O Milonga é produzido com azeitonas tipo arbequina, uma variedade da Espanha.

“Nosso arbequina recebeu o prêmio máximo da competição, sendo eleito o melhor azeite do Hemisfério Sul, além de recebermos medalha de ouro no nosso corte arbequina/coratina e prata no nosso Koroneiki”, comemorou Chris Vogt.

A produção de azeitonas da empresa está em cerca de 80 toneladas, mas a empresa projeta alcançar 200 toneladas até 2027. Por hora, o azeite só pode ser encontrado no site da empresa, onde uma garrafa de 250 ml custa cerca de R$ 60. E as vendas aumentaram muito após a premiação, a ponto da empresa pedir desculpas aos clientes pela demora da entrega.

“Devido à premiação de melhor azeite do hemisfério sul pelo EVO IOOC Itália e as repercussões geradas, recebemos um número de pedidos muito alto. Como somos uma empresa familiar e pequena com a automação ainda não terminada, estamos levando em torno de 5 dias para despacho.[…] Pedimos desculpas se o tempo para atendimento está demorado mais que o normal. […] Iremos avisar quando a situação irá se normalizar”, comunicou a empresa no site.

%d blogueiros gostam disto: