Relatos de picadas de agulhas inesperadas crescem na França e Reino Unido

Mais de 300 pessoas na França relataram terem sido picadas com agulhas em shows ou clubes noturnos nos últimos meses. Em sua maioria mulheres, pessoas que vivem em Paris, Toulouse, Nantes, Nancy, Rennes e outras cidades francesas relataram terem sido picadas com agulhas de forma inesperada.

Muitas dessas mulheres alegam marcas de injeção, hematomas e relataram sintomas como tonturas. Os proprietários das casas noturnas e a polícia estão trabalhando em conscientização. E um rapper, recentemente, interrompeu seu show para avisar os frequentadores dos perigos de ataques com agulhas.

Mas além da França, outros países europeus estão preocupados com esta situação. Como o Reino Unido, que está investigando casos de “needle spiking”, além de Bélgica e Países Baixos, cujas polícias também receberam relatos de casos semelhantes.

Um dos relatos apresentam um jovem de 18 anos na França, que após um show de rap, sentiu tonturas e dor de cabeça ao chegar em casa. Notou, depois, um pequeno furo na pele do braço. Pela manhã, foi ao médico, onde foi constatado que ele realmente foi picado por uma agulha. Um teste de HIV e hepatite foram feitos, com ambos os resultados sendo negativos.

Até o momento, nenhum suspeito foi detido, nenhuma agulha foi encontrada, mas também não há relatos de casos mais graves, e nem de doenças transmitidas por elas. No Reino Unido, um relatório do Parlamento foi aberto sobre bebidas e picadas de agulhas em casas noturnas e bares, após um surto de casos do tipo em 2021.

Só em outubro de 2021, a polícia britânica relatou cerca de mil casos de picadas de agulhas em toda a ilha. Mas o relatório do Parlamento afirmou que faltam dados para avaliar a gravidade da situação.

%d blogueiros gostam disto: