Pesquisa Datafolha revela que 55% dos moradores de São Paulo querem se mudar

A ideia de mudança está cada vez mais presente na mentalidade do brasileiro. De acordo com uma pesquisa do Datafolha, divulgada em abril, 55% dos moradores da cidade de São Paulo e 59% do Rio de Janeiro têm o desejo de se mudar. Foram entrevistadas 1.806 pessoas em 62 municípios do estado de São Paulo, com margem de erro de dois pontos. No Rio, por sua vez, foram ouvidas 1.218 pessoas, em 30 municípios, com margem de erro de três pontos. 

Trata-se de um fenômeno impulsionado, em partes, pela necessidade do trabalho remoto, que surgiu em decorrência da pandemia. Com a possibilidade de trabalhar fora do escritório, permitindo que as respectivas funções sejam exercidas dos mais variados locais, a ideia da mudança vem se tornando algo cada vez mais viável. 

Em paralelo a esse movimento, que já está acontecendo, os setores de logística e transporte tornaram-se os mais movimentados do Brasil. Logo, as startups que apresentam uma proposta de negócio que combina os dois segmentos, tendem a encontrar um mercado cada vez mais amplo e promissor. 

Segundo dados da Granero Express, plataforma digital que conecta motoristas de carreto a usuários, cerca de 47% das pessoas fizeram mudanças entre os estados da região Sudeste durante o ano de 2021. O Nordeste fica em segundo lugar, com 23% e o Sul em terceiro, com 15%. 

De acordo com José Guilherme Trivellato, CEO da Granero Express, em processos como esses, é comum que haja uma série de dúvidas acerca de como fazer o transporte de móveis e eletrodomésticos de forma segura e confiável. “Existe uma demanda ativa de mercado em relação ao transporte pontual de utensílios que, não necessariamente estão relacionados a uma ‘mudança’, mas que, por seu porte, não podem ser transportados por carros e/ou motos. É nesse nicho de mercado que as plataformas que conectam motoristas autônomos a pessoas que necessitam do serviço, conseguem obter destaque”, explica o executivo da Granero Express. 

Retomada presencial: o impacto do deslocamento de pessoas 

Com as empresas em processo de retomada do modelo presencial de trabalho, a necessidade de transporte de utensílios aumentou ainda mais. De acordo com um estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), divulgado em julho de 2021, 11% dos trabalhadores ativos no Brasil exerceram suas respectivas funções de modo remoto em decorrência do isolamento social que teve início em 2020. Com essa possibilidade, a necessidade de recorrer ao serviço de carreto para trazer seus pertences da região escolhida para home office – litoral, interior, etc. – de volta à capital de São Paulo, por exemplo, tornou-se essencial para muitas pessoas.

“De fato, com a volta das pessoas para São Paulo, houve um aumento nas demandas do serviço de carreto. Nesse caso, especificamente, muitos optaram por garantir a segurança de seus equipamentos – muitos, aliás, de trabalho – durante a volta para a capital, ao invés de se arriscar trazendo esses utensílios em carros ou motos. Além disso, é claro, existem os casos de transporte de grandes objetos, como móveis, geladeiras, etc. Para estes, a opção mais viável era, de fato, o carreto”, finaliza o CEO da Granero Express. 

%d blogueiros gostam disto: